Virando a página – mais uma vez

Começar tudo de novo às vezes dá uma preguiça! Mas a vida vive mandando a gente começar e recomeçar, tantas vezes quantas forem necessárias pra gente se acostumar com isso. Mas, mesmo que a gente se acostume, o friozinho na barriga é inevitável.

É que a inércia é uma das leis mais certeiras já criadas pelos cientistas. “Qualquer corpo em movimento retilíneo e uniforme ou em repouso tende a manter-se em movimento retilíneo e uniforme ou em repouso”, dizia Isaac Newton. Ele já sabia, desde aquela época, que é muito, mas muito mais fácil a gente manter as coisas como estão – mesmo que não tão boas – do que fazer as trouxas e partir pra outra.

O problema é que, seguindo a tal inércia, muita gente acaba se acomodando, aceitando qualquer coisa, aturando situações absurdas, só pela preguiça de recomeçar. Quantos casamentos desastrados e decadentes se arrastam por anos assim? Quantos empregados aguentam um trabalho chato e degradante em nome da estabilidade e se aposentam no mesmo lugar em que entraram na adolescência, só por medo de dar errado em outro lugar?

Não é fácil de verdade. Porque pra mudar de casa a gente tem que encaixotar tudo e depois arrumar de novo. Pra mudar de escola a gente tem que fazer novos amigos. Pra mudar de cidade às vezes a gente tem até que trocar todo o guarda-roupa. Pra terminar o namoro a gente tem que se reacostumar com a vida de solteiro, reaprender a paquerar. Pra começar um namoro a gente tem que se desvencilhar da liberdade de solteiro, reaprender a partilhar. Pra mudar de emprego, é preciso pedir demissão, dizer adeus, se despedir de quem te deu uma oportunidade e aprender de novo, coisas diferentes, conhecer pessoas diferentes.

Dá preguiça. Mas não é só. Dá nervosismo, ansiedade, tremedeira, choradeira, frio na barriga, dor de cabeça, vontade de desistir. Porque mudar não é só começar de novo, mas também encerrar um ciclo, fechar uma porta, virar uma página. E deixar coisas pra trás é melancólico, dolorido. Perder é dolorido, mesmo que essa perda venha acompanhada de uma nova chance ou de uma vitória. Infelizmente não dá pra ter os dois.

Só que mudar também tem um lado mágico. Sentir-se desafiado a aprender mais, se surpreender mais, errar mais pra aprender mais um pouco. Sentir a adrenalina correndo nas veias e provocando um tremelique no coração, uma avalanche no estômago, uma certeza de que nada é certo, mas que é bom mesmo assim. Porque começar de novo é uma prova de que a gente está vivo e sempre pode fazer um novo fim pra nossa história. E essa sensação não há preguiça que derrube!

PS: A mudança que estou vivendo agora não tem nada a ver com insatisfação. Mas resolvi falar de mudança de uma forma genérica. Só pra ficar claro…

//
Tudo Novo de Novo – Paulinho Moska

Vamos começar
Colocando um ponto final
Pelo menos já é um sinal
De que tudo na vida tem fim

Vamos acordar
Hoje tem um sol diferente no céu
Gargalhando no seu carrossel
Gritando nada é tão triste assim

É tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos

Vamos celebrar
Nossa própria maneira de ser
Essa luz que acabou de nascer
Quando aquela de trás apagou

E vamos terminar
Inventando uma nova canção
Nem que seja uma outra versão
Pra tentar entender que acabou

//

A Natureza das Coisas – Elba Ramalho (gosto mais da música na voz do Santanna, mas não achei um vídeo bom)

Se avexe não…
Amanhã pode acontecer tudo
Inclusive nada.

Se avexe não…
A lagarta rasteja
Até o dia em que cria asas.

Se avexe não…
Que a burrinha da felicidade
Nunca se atrasa.

Se avexe não…
Amanhã ela pára
Na porta da tua casa

Se avexe não…
Toda caminhada começa
No primeiro passo
A natureza não tem pressa
Segue seu compasso
Inexoravelmente chega lá…

Se avexe não…
Observe quem vai
Subindo a ladeira
Seja princesa, seja lavadeira…
Pra ir mais alto
Vai ter que suar.

//
Tente Outra Vez – Raul Seixas

Veja
Não diga que a canção está perdida
Tenha fé em Deus, tenha fé na vida
Tente outra vez

Beba
Pois a água viva ainda está na fonte
Você tem dois pés para cruzar a ponte
Nada acabou, não não não não

Tente
Levante sua mão sedenta e recomece a andar
Não pense que a cabeça agüenta se você parar,
não não não não
Há uma voz que canta,
uma voz que dança,
uma voz que gira
Bailando no ar

Queira
Basta ser sincero e desejar profundo
Você será capaz de sacudir o mundo, vai
Tente outra vez

Tente
E não diga que a vitória está perdida
Se é de batalhas que se vive a vida
Tente outra vez

//
Todo Carnaval Tem seu Fim – Los Hermanos

Todo dia um ninguém josé acorda já deitado
Todo dia ainda de pé o zé dorme acordado
Todo dia o dia não quer raiar o sol do dia
Toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado
De que o dia insiste em nascer
Mas o dia insiste em nascer
Pra ver deitar o novo

Toda rosa é rosa porque assim ela é chamada
Toda Bossa é nova e você não liga se é usada
Todo o carnaval tem seu fim
Todo o carnaval tem seu fim
E é o fim, e é o fim

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

Toda banda tem um tarol, quem sabe eu não toco
Todo samba tem um refrão pra levantar o bloco
Toda escolha é feita por quem acorda já deitado
Toda folha elege um alguém que mora logo ao lado
E pinta o estandarte de azul
E põe suas estrelas no azul
Pra que mudar?

Deixa eu brincar de ser feliz,
Deixa eu pintar o meu nariz

//

Canção da Despedida – Geraldo Azevedo)

Já vou embora
Mas sei que vou voltar
Amor não chora
Se eu volto é pra ficar
Amor não chora
Que a hora é de deixar
O amor de agora
Pra sempre ele ficar

Eu quis ficar aqui
Mas não podia
O meu caminho a ti
Não conduzia
Um Rei mal coroado
Não queria
O amor em seu reinado
Pois sabia
Não ia ser amado
Amor não chora
Eu volto um dia
O Rei velho e cansado
Já morria
Perdido em seu reinado
Sem Maria
Quando eu me despedia
E no meu canto lhe dizia…

Já vou embora
Mas sei que vou voltar
Amor, amor não chora
Se eu volto é pra ficar
Amor não chora
Que a hora é de deixar
O amor de agora
Pra sempre, sempre ele ficar
Amor não chora
Amor não chora
Já vou embora
Já vou, já vou embora
Amor, amor não chora…

Anúncios

2 pensamentos sobre “Virando a página – mais uma vez

  1. Ai, ai! A vida segue seu ciclo e leva a gente onde quer… E viva a mudança!
    “Tudo na vida tem seu fim”… mas as experiências vão junto, os amigos permanecem pra gente construir tudo novo! Muito sucesso pra vc! Que a vida te apresente sempre boas propostas! Te amo!

  2. Eii Linda… Tinha um tempinho que não passava por aqui, confesso rs… Mas também quando passo é tão gostoso… Quando leio parece que estamos ali denovo na edícula… conversando sobre a vida em uma daquelas noites fria que São Paulo tem rs. E é bom saber como anda a sua vida seja por aqui ou por outros métodos virtuais que diminuem a distância interstadual. E é melhor ainda saber que por caminhos tortos, com desvios, ou não você ta seguindo seu caminho cada vez mais mulher!! Um beijo florzinha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s