30 anos sem Cartola, a voz do samba triste

Nesta terça-feira, dia 30, completam-se 30 anos da morte de um dos grandes mestres do samba brasileiro, fundador da Estação Primeira da Mangueira – o Cartola. Não sou superconhecedora do trabalho dele, mas amo tudo que conheço (saiba mais com quem entende, aqui). São canções de amor rasgadas, chorosas, dessas de doer, fazer sangrar o coração. Mas lindas! E, ao mesmo tempo, há outras pra chorar de alegria e sair sambando.

Enfim, ele era mestre. Com certeza você já viu alguém com uma camiseta estampada com o rosto dele por aí, que é inconfundível. E com certeza também já ouviu pelo menos um trecho de uma música do Cartola ou que ele gravou. Acho que a mais conhecida é “O Sol Nascerá”, que tem um refrão bem famoso – é a minha preferida também. Mas há muitas outras, incontáveis. Escolhi algumas que gosto pra listar aqui.

O Sol Nascerá – Cartola

A sorrir
Eu pretendo levar a vida,
Pois chorando
Eu vi a mocidade perdida.

Finda a tempestade
O sol nascerá,
Finda esta saudade
Hei de ter outro alguém para amar.

Tive Sim – Cartola

Tive sim, outro grande amor antes do teu, tive sim.
O que ela sonhava era os meus sonhos e a assim.
Iamos vivendo em paz, nosso lar em nosso lar sempre houve alegria,
e eu vivia tão contente como contente ao teu lado estou.
Tive sim, mas comparar com seu amor, seria o fim,
E vou calar, pois não pretendo amor te magoar.

Peito Vazio – Cartola

Nada consigo fazer
Quando a saudade aperta
Foge-me a inspiração
Sinto a alma deserta
Um vazio se faz em meu peito
E de fato eu sinto em meu peito um vazio

Me faltando as tuas carícias
As noites são longas
E eu sinto mais frio
Procuro afogar no álcool a tua lembrança
Mas noto que é ridícula a minha vingança
Vou seguir os conselhos de amigos
E garanto que não beberei nunca mais
E com o tempo esta imensa saudade
Que sinto se esvai.

Alvorada – Cartola

Alvorada
Lá no morro que beleza
Ninguém chora não há tristeza
Ninguém sente dissabor
O sol colorindo é tão lindo
É tão lindo
E a natureza sorrindo
Tingindo, tingindo

Você também me lembra a alvorada
Quando chega iluminando
Meus caminhos tão sem vida
E o que me resta é bem pouco
Quase nada
Do que ir assim vagando
Numa estrada perdida

Quem Me Vê Sorrindo – Cartola e Carlos Cachaça

Quem me vê sorrindo
Pensa que estou alegre
O meu sorriso
É por consolação
Porque sei conter
Para ninguêm ver
O pranto do meu coração

O pranto que eu verti por este amor
Talvez
Não compreendeste
E se eu disser, não crês
Depois de derramado
Ainda soluçando
Tornei-me alegre
Estou cantando

Compreendi o erro
De toda a humanidade
Uns choram por prazer
E outros com saudades
Jurei e a minha jura
Jamais eu quebrarei
E todo o pranto esconderei.

O Mundo é um Moinho – Cartola

Ainda é cedo, amor
Mal começastes a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor
Preste atenção o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estár a beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés
As Rosas Não Falam – Cartola

Bate outra vez
Com esperanças o meu coração
Pois já vai terminando o verão enfim

Volto ao jardim
Com a certeza que devo chorar
Pois bem sei que não queres voltar para mim

Queixo-me às rosas, mas que bobagem
As rosas não falam
Simplesmente as rosas exalam
O perfume que roubam de ti, ai…

Devias vir
Para ver os meus olhos tristonhos
E, quem sabe, sonhar os meus sonhos
por fim

Preciso me Encontrar – Candeia na voz de Cartola

Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar…
Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver…
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar
Se alguém por mim perguntar
Diga que eu só vou voltar
Depois que me encontrar…
Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver…
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir prá não chorar…

*Nesta quinta, dia 2, será também o Dia Nacional do Samba. Por isso, pretendo fazer playlists legais sobre o tema ao longo da semana…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s